Construções ecológicas: uso do bambu na construção civil

  • Tamara T Lopes
  • Daniela P V Souza
  • Bruna S Rattes
  • Vinicius F Athaydes
  • Júlia Duffrayer

Resumo

Neste trabalho foi abordado o uso do bambu na construção civil brasileira, com base em pesquisa realizada através de artigos e institutos especializados na temática. O material é bastante utilizado fora do Brasil, porém aqui ainda são encontradas diversas barreiras que impossibilitam o uso do mesmo como um material recorrente na construção civil, em contra partida dos materiais de alvenaria por exemplo. Está cada vez mais evidenciada a busca por materiais mais sustentáveis e que ao mesmo tempo sejam competentes em qualidade e resistência. O objetivo deste trabalho é provar que o bambu é um material resistente e que pode ser utilizado como elemento estrutural na construção civil. O método utilizado foi baseado na NBR 7190 da ABNT que demostra as diretrizes para realização do ensaio de compressão normal às fibras, foram utilizados corpos de prova do bambu gigante cortados em amostras de 10 cm. Os resultados de pico de força suportados pelos corpos de prova forneceram números de resistência que podem ser comparados ao do concreto, estes resultados foram contabilizados e organizados em gráficos e tabelas. Os corpos de prova contendo nó suportaram maior quantidade de golpes, o posicionamento do nó nas extremidades conferiu suportar maior força máxima. Os valores de resistência atingidos pelas amostras foram excelentes, fato este que foi satisfatório para que se conseguisse demonstrar então que o bambu trata-se de um material competente quanto a sua compressibilidade.


Palavras-chave: Bambu. Sustentabilidade. Ensaio de compressão. Construção Ecológica.

Publicado
2019-04-09
Como Citar
LOPES, Tamara T et al. Construções ecológicas: uso do bambu na construção civil. Revista Espaço Transdisciplinar, [S.l.], v. 2, n. 01, p. 34-42, abr. 2019. ISSN 2526-6470. Disponível em: <http://periodicosnovomilenio.com.br/index.php/transdisciplinar/article/view/59>. Acesso em: 21 maio 2019.