Estimativa de recalque em estaca hélice contínua

  • Morgana Moreschi
  • Vanessa B Dias

Resumo

Introdução. A previsão de recalque é fundamental para o projeto de fundação para garantir um bom funcionamento da estrutura durante sua vida útil. Para verificação do desempenho da fundação é realizado a prova de carga, que consiste na aplicação de cargas e registros dos deslocamentos, obtendo como resultado a curva carga vs recalque. A estimativa de recalque será analisada pelo método semi empírico de Aoki – Lopes (1975), que considera o encurtamento da estaca e a deformação do solo que envolve a fundação. Objetivo. Analisar os resultados da estimativa de recalque em estaca hélice contínua. Método. Foram analisados dois estudos de caso, onde foram realizados ensaios de prova de carga. A partir dos dados obtidos no ensaio foi comparado os recalques sofridos por um método de estimativa semi empírico, Aoki – Lopes (1975). Neste método é considerada a deformação na própria estaca, o encurtamento elástico, considerando o módulo de elasticidade do concreto somado com a deformação na camada do solo, que contribui para a tensão lateral e de ponta, quando aplicada uma carga no topo da estaca. Resultados. Os resultados demonstram a estimativa do recalque pelo método de Aoki-Lopes (1975) com base nas informações do SPT e comparado ao resultado do ensaio de prova de carga houve diferença nos valores e mesmo diante desta diferença entre os recalques, pode-se considerar que o método é eficaz e confirma a prova de carga, esclarecendo o comportamento da fundação quanto ao seu desempenho interação solo-estrutura, de forma a minimizar possíveis erros de projeto e evitar danos maiores à construção. Conclusão. Diante das análises realizadas neste estudo, os resultados permitem concluir que o método semi-empírico de Aoki-Lopes se mostra adequado à estimativa de recalque, e a variação dos resultados pode ser atribuída à variabilidade natural do solo e pelo método executivo da estaca.


Palavras-chave: estaca hélice contínua, recalque, método semi empírico


 

Publicado
2019-04-09
Como Citar
MORESCHI, Morgana; DIAS, Vanessa B. Estimativa de recalque em estaca hélice contínua. Revista Espaço Transdisciplinar, [S.l.], v. 2, n. 01, p. 51-58, abr. 2019. ISSN 2526-6470. Disponível em: <http://periodicosnovomilenio.com.br/index.php/transdisciplinar/article/view/62>. Acesso em: 21 maio 2019.